15 janeiro 2009

Menezes desafia liderança a demitir-se

Luís Filipe Menezes desafiou hoje a liderança do Partido Social Democrata a demitir-se e a convocar eleições internas referindo que seriam " irresponsáveis e irrealistas" se não o fizessem.

"Se não derem um passo atrás e não permitirem eleições no partido são irresponsáveis e egoístas, estão a prestar um péssimo serviço ao PSD e ao país", disse Menezes.

"Estes senhores devem fazer o que eu fiz: dar um passo ao lado e dizer 'venham escolher alguém que seja capaz de derrotar o Engº Sócrates" referiu.

Paralelamente as sondagens continuam em queda.A descida desde Julho de 2008 com 32% tendo encerrado o referido ano com 26%.
Ontem, o Partido Social Democrata em sondagem publicada no " Correio da Manhã" atinge os 23%!!!!

Está lançado o mote para o debate....

7 comentários:

Rui Badana disse...

Apesar de ter apoiado e continuar a apoiar Pedro Passos Coelhos, acho que andarmos todos dias em eleições so nos prejudica.
Andarmos também todos dias com estas guerras também não os favorece em nada! Temos que nos unir e trabalhar a uma só voz!
VAMOS PUXAR PORTUGAL, COM GARRA E PAIXÃO!!!

João Carvalho disse...

E que debate. È visivel que se deve fazer algo, o descalabro aproxima-se. Concordo que andar sempre em eleições não favorece o partido, mas a convicção que o PSD não tem hipoteses de ganhar as eleições está entranhada nos portugueses.
Compreendo os apelos de união, sobretudo do 1/3 de militantes que votou em MFL, mas o pais vem primeiro, eo país não pode ter mais 4 anos de PS. A dr. MFL deve ter em conta tudo isto, resistir aos que desejam que tudo se mantenha igual (numa altura de elaboração de listas), e como mulher séria que é sair e dar hipótese ao partido de encontrar uma solução ganhadora. Solução essa que não será quem calculistamente se recusa a mexer esperando que o poder lhe caia nas mãos.

Rui Badana disse...

Caro João Carvalho, de certo modo concordo contigo, mas se isso acontecer tem que ser com a maior brevidade possivel.

Hugo Sampaio disse...

A Juventude Portuguesa votaria na actual Presidente do Partido para candidata a Primeira - Ministra?
A Juventude Portuguesa revê -se nela?
Galvaniza,motiva os Jovens?
União é um discurso que só serve de retórica é ainda por cima má senão vejamos:
É preferível unidade e perder as eleições?
É preferível unidade e ver o Partido a não descolar nas sondagens?
É preferível unidade a mais um Governo Socialista?
É preferível unidade ao assistirmos ao aumentar da taxa do desemprego?
É preferível unidade ao assistirmos à situação ecómica difícil que a esmagadora maioria das famílias atravessam?
É preferível unidade à perda de direitos ?
É preferível unidade aos graves problemas existentes na Saúde?
É preferível unidade face às situações de desespero dos reformados, pequenos e médios empresários,agricultores e classe média por exemplo?
O que está em causa é os anseios, as preocupações de todos os Portugueses.
Os Portugueses desejam uma alternativa política credível, eficaz. construtiva, actuante, acutilante, eficaz!!!!!

Alguém afirmaria " para grandes males, grandes remédios". Subscrevo a afirmação.
Disse.

José Baptista disse...

Meus caros,
sobre este tema sou curto e sucinto.

Mantenho o meu apoio a Manuela Ferreita Leite, mulher que admiro e que sei capaz de enfrentar Sócrates e governar o país.

Condeno todos os que com falsas modéstias e tentativas de descridibilização tentam levar o partido à ruína. Não admito que o mesmo volte a ser feito. Parece que estes que apregoam as eleições ficaram contentes quando Sampaio dissolveu a AR. Seguem-lhe o exemplo, mas dentro do partido.

Esta não é uma causa da juventude mas de todo o país. Haja coerência e sentido de credibilidade.

João Carvalho disse...

Hugo, estou totalmente de acordo contigo. Alias, esse teu texto mercia vir na pagina principal do blogue e não na secção de comentários.

Rui Rodrigues disse...

Excelente comentário Hugo Sampaio.
O João Carvalho tem razão,devia vir como post e não como comentário